Já conhece o “Polícia Automático” que apreende veículos? Descubra aqui!

polícia automático
5 Partilhas

Já conhece o “Polícia Automático” que apreende veículos? Descubra aqui!

O Polícia Automático é um sistema de leitura automática de matrículas, que já levou a PSP a apreender vários veículos em Portugal!

O Polícia Automático é uma inovação, que apesar de introduzida já à alguns anos em alguns carros da PSP e GNR de todo o país, nunca tinha sido utilizada numa operação de grande envergadura, e que muita gente ainda desconhece a sua existência.

Este sistema caracteriza-se por ter uma câmara de captação de matrículas para cruzamento de dados em tempo real, que permite aos agentes de segurança averiguar, em plena circulação rodoviária, o registo e cadastro de qualquer veículo que os rodeie.

Este método tem como principal função “detetar viaturas que constam para apreender por motivos de dívidas fiscais, por falta de regularização de propriedade, furto e outros motivos análogos”, esclareceu o comissário Ricardo Matos, da Divisão de Trânsito do Comando Metropolitano da PSP/Porto, à Agência Lusa.

O mecanismo de deteção de matrículas é de tal forma avançado e eficaz, que permite registar e consultar, num ecrã que se encontra instalado no interior das viaturas policiais, várias matrículas por segundo, o sistema funciona de forma rápida e independentemente das condições atmosféricas e de luz existentes, dada a opção de infravermelhos da câmara que deteta até carros estacionados em ‘stands’ de automóveis ou simples algarismos dispersos em placas rodoviárias.

Se um veículo for sinalizado por circular com ordem de apreensão, procede-se à consequente perseguição, ordem de paragem e seguimento dos trâmites processuais com vista à captura.

A operação está a ser realizada por brigadas de trânsito oriundas de todo o país, embora circunscrita aos concelhos do Porto, Gaia, Matosinhos e Maia, dada a inclusão de sistemas de “Polícia Automático” em apenas duas viaturas do comando metropolitano da PSP/Porto, um equipamento de um valor que ronda os 10 mil euros e que requer a cooperação a nível nacional para uma cobertura local eficiente.

As principais mais-valias desta tecnologia passam por “um policiamento mais eficaz e mais célere, que vai ao encontro das viaturas que realmente se encontram em situação irregular”, apontou o comissário Ricardo Matos.

Fonte: Jornal do Tuga

5 Partilhas